Segue o Loucuras por email...

terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

E escrevo...

Fico quieta a escrever,
no acto inconformado
deste viver...
e...escrevo,
porque,
quero gritar, pedir ao mundo
que me entenda
que me deixe
continuar
que não pisem os meus passos
não calem as minhas palavras
que não as falseiem
que as leiam
porque foram escritas
com a única tinta que sei escrever...
a tinta que retiro do fundo de mim
que me corre nas veias...
tudo o que vés é sangue,
espalhado nas palavras que te deixo...

6 comentários:

Moura disse...

...e escreves bem!
Estaremos perante meros exercícios de escrita...ou diante de uma alma que se encontra em crise !?

No entanto, ficamos gratos pela partilha de tão belos e sentidos textos.
Bjo

Fallen Angel disse...

Não te sai do corpo, sai-te da alma. Delicioso sânscrito.

Marlene Maravilha disse...

Tomara que o mundo não te cale mesmo as palavras, porque te saem muito fácil da alma e agradam os outros.
bjos

Felipe Fanuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe Fanuel disse...

Tua escrita tem vida própria. Tua pena é como o sopro divino nas narinas humanas: as letras simplesmente ganham fôlego. Não quedam, porque de tão difícil que fora o parto, elas estão a pulsar liberdade. Tu, portanto, as deixas ir para o mundo.

Cresçei e multiplicai, ó palavras de origem divina!

Felipe Fanuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.