Segue o Loucuras por email...

domingo, 25 de maio de 2008

Sentir...Azul

Sentada no alpendre
Vislumbro o céu na manhã
Que se entrecorta
Com o azul do mar
E se mistura com oAzul da tapeçaria
Onde repouso
os meus pensamentos...
o orvalho desliza
por entre as rosas feito canção...
Pego na pena
Para escrever,
Mas...Desenho a silhueta
De uma criança
Da criança que fui
E sinto a minha vulnerabilidade
Que tento afastar
E outro esboço,
Entre o limite
E o âmbiguo
Desenho a morte
E risco...Não vou morrer ainda...
E fito o mar
Que me leva…e eleva
Conselheiro de tantos momentos
E sinto a obstrução
Dos meus pensamentos
Que voltam a repousar
Nos azuis à minha volta
E uma paz me invade
Elevada ao exponente máximo
De calma e tranquilidade
Enquanto
O mar calmo, imenso
Continua a desenhar o azul
De calma, de ser
e existir...De mim...

terça-feira, 20 de maio de 2008

Lágrimas...


Lágrimas
que te vão no pensamento
que escorrem por vezes
por entre o teu sorriso feito luz
feito pedaços de ti...
Elas vêm devagarinho
desamparadas
anunciando
uma dor...
que mais não é
que saudade...
E caem
sem pressa de serem
sem intuito de ficarem
lágrimas apenas...
Num grito mudo
que se liberta
e tu voltas
como se nunca tivesses ido
embarcado
nas lágrimas que se fizeram...

sábado, 17 de maio de 2008

Meme

Eis a minha resposta ao desafio do Eremita:
Com 6 palavras criar um "meme"
“A nossa biografia/memórias em apenas seis palavras”

O que nos é pedido:.
Com seis palavras escrever uma "muito curta" biografia ou conceito...
Podemos dar-lhes ênfase com uma imagem.
O que devemos também fazer:
1. Colocar um link para o/a desafiador/a;
2. Desafiar cinco blogues;
3. Deixar-lhes aviso para fazerem o mesmo.
Eu vou indicar:

terça-feira, 13 de maio de 2008

Do tempo...


E fico quieta

parada de mim

e em mim

no tempo que desliza

suavemente

que se escapa

que não agarro

por entre os fios

invisiveis

e indivisos

do meu ser

quero agarrar

esse tempo

que insiste

em se desprender

por entre o sol

passageiro

da saudade...

terça-feira, 6 de maio de 2008

Nas tuas mãos...

No eco escuro e sombrio
onde os gritos
se apagam
amordaçados
e o delírio
se faz verdade
mesmo antes de o ser
eis que chegas
com a Primavera no sorriso,
nos olhos a cor da luz
e nas mãos o carinho,
o conforto, o amor
que dás,
que transpira de ti
que fazes acontecer,
e sinto as tuas mãos
que me protegem do mundo
e me fazem acreditar
que o mundo terá as cores
do teu sorriso,
da tua ternura,
da paz do teu olhar
feito conto de criança
que lês para me embalar...